sexta-feira, 12 de maio de 2017

Procura-se.

Procura-se alguém para dividir um amor.
Procura-se alguém para dividir um apartamento.
Procura-se alguém que tenha um coração, de preferencia não
de preço, mas que seja de valor.

Procura-se alguém com vontade de viver.
Procura-se alguém que tenha sonhos em mente. De
preferência, com disposição em atitudes para realiza-los.

Procura-se não alguém que goste somente de sol o tempo
todo, mas alguém que quando o tempo tras chuva, essa pessoa
goste de sair para fora e não ter medo de se molhar.

Procura-se alguém que saiba não somente colocar a
quantidade certa de açúcar em uma receita, mas
colocar a doçura em sorrisos no dia a dia.

Procura-se alguém para se sentar a varanda em dia de
chuva e escutar o som do trovão, assim como também
escutar os sentimentos do meu coração em dias de aflição.

Procura-se alguém imperfeito capaz de perceber que a
única perfeição que pode o completar está acima dele.
Uma que não se vê, mas se sente.

Procura-se alguém que tenha propósitos de viver para
além desta vida. Alguém capaz de passar todas as estações
de inverno da alma. Alguém com coragem capaz para enfrentar
uma luta não de braços mas com joelhos no chão.

Procura-se alguém de beleza oculta. Alguém que escuta.
Alguém que tenha estrutura de amor, linhagem
humilde, historia de valor.

Procura-se [...]


domingo, 2 de abril de 2017

A Moça e a Essência.

" Só a moça com o seu fino instinto de Mulher, lhe compreendia as delicadezas do coração" - O Jardineiro Timóteo.


 Esse trecho trás a memória a essência que havia dentro de mim, se tratando do meu passado quando mais moça. Atualmente as exigências da vida deixou mais forte e fino instinto de mulher, mas para viver o dia bem calmo é necessário trazer de volta ao coração a delicadeza de moça, que logo nos levará a essência verdadeira de quem realmente sou.
 Com tudo isso me leva a crer que o espiritual está ligado a essas fases: a essência de moça e instinto de mulher. Enquanto o conceito essência ela se remete a pessoa real, a ser puro, sem contaminação algum, logo é gerado o delicado, pois para tudo aquilo que é limpo, passa a perceber todos os detalhes e a querer acrescentar para si, companhia de outro algo puro; um sentimento talvez, como o amor, que quando aprendemos algo sobre ele queremos compartilhar, mesmo que conscientemente ou não, e
acontece assim com o amor. E então começa o jogar da semente a essência, o real ganha forma: A Moça.

 Jovem, cheia de vida, cheia de amor, com toda a sua essência e delicadeza, esbanja simpatia, converte o sentimento de paz dentro de si em sorriso aberto para todos que tem o privilégio de viver com ela. Forte, decidida, carrega em si a força de espírito de fé. Ela não vive em um conto de fadas, mas crê que faz parte de algo bem maior e logo se anima por sua essência ser preservada e cuidada por alguém cuja a forma física não conhece do tal ser, mas sabe pelo coração essência e pureza, que pertence a algo do mesmo.
 Assim, toda a sua essência e mocidade refletiram posicionamentos em vida pessoal, a moldando de tempos em tempos o seu caráter, e em um nível de amadurecimento, se tornou a mulher, que de coração delicado, compreendeu que em Timóteo, refletia também a sua essência de que um dia a fez ser moça também, a olhar os detalhes da vida, como flores arcaicas do jardim de Timóteo.






quinta-feira, 12 de maio de 2016

A um passo de Deus.

  Ansiedade: sentir uma necessidade de se preparar para algo, mas que ainda não aconteceu; um momento ou para alguma situação. Ir correndo diretamente para o final sem ter que passar pelo processo do meio. Começa a se desequilibrar do seu foco presente, quando de repente várias coisas vêem em sua mente para você fazer ou se preparar, mas aí você volta a realidade ali e percebe que está na mesma; no quarto sentada, olhando para a janela e a luz do sol, e ver que nada do que pensou em fazer ou estar fazendo, aconteceu.
  Quando pensamos que podemos fazer todas as coisas mudarem por si mesma, pensando que você vai fazer as coisas do seu jeito, da sua maneira, do jeito que você quer, com as pessoas da sua escolha; os seus sonhos, os seus planos, no momento que você quiser, no dia, no mês... Mas não é bem assim.


  Temos uma visão pequena de nós mesmos, acredite! Do que pensamos que podemos fazer quando na realidade, há alguém que nos olha de um outro ângulo e nos enxerga de um tamanho diferente, bem maiores que tudo o que podemos pensar ou imaginar.
  A dificuldade de perceber isso, o que nos atrapalha a não ver; são os nossos medos, a nossa insegurança, a nossa capacidade de nos enxergar tão pequenos diante de muitas situações que nos acontecem no nosso dia a dia tem por motivo essas falhas.
  Somos pequenos ao nos compararmos com as coisas que o Pai tem feito e fez. Não somos nada na verdade, por não agir e fazer absolutamente nada comparado as obras do antigo testamente e a maneira como os servos de Deus agiam. Mas somos grandes ao olhar de um outro modo, grandes com base na força e apoio que temos ao nosso lado: O Deus eterno e infinito. Porém, o que nos impede de nos vermos assim, com essa força e coragem de agir em nome de Deus, como os servos dele agiam?
  O medo, a insegurança, a falta de dedicação, as distrações, todo o luxo e conforto que temos em nossa vida, nos deixa ser levados por algo que desencadeia um desejo egoísta nosso de se realizar, e então nos desviamos do foco e voltamos a ser sensíveis novamente, acabamos dando uma brecha para o nosso eu humano, e nos afogamos em acomodação, da nossa vontade. No fim, acabamos perdendo a força e a coragem, e quando nos encontramos em situação de agir para o Senhor, não nos achamos dignos, e então acabamos nos recolhendo, ao invés de nos expormos a servir a ele.
  Ao ler a história inteira de Salomão, filho de Davi, quando estava pegando pesado nos livros do
antigo testamento para estudo diário, percebi que ele tinha tudo; era um homem que não poderia se queixar de nada em sua vida, sabedoria em abundância, riqueza sem pedir ao Senhor, ganho de presente pela fidelidade que teve com Deus, em preservar os mandamentos e ordens do Senhor.
  Mas foi uma pena, que nos últimos instantes, a um passo de conseguir que sua geração fosse entregue sem mancha alguma de pecado para o Senhor, Salomão teve um deslise. Perdeu o foco. Ele acabou se recolhendo em si, e não continuou agindo para Deus e se entregou aos seus desejos egoístas com várias mulheres, (1 Reis 11:1) a sua paixão por elas o cegou e ele começou a adorar a outros deuses, que comparado ao século de hoje, fez como nós, que as vezes nos rendemos aos "deuses" do entretenimento, do egoísmo, da inveja, da rivalidade da luxuria, da ignorância... E com todos esses pontos negativos entregues, Salomão teve todas as suas gerações perdidas por todos os motivos que o fez cair.
   Quando estamos a um passo de entregar a nossa geração para que o Senhor as tome conta, também nesse mesmo tempo somos tentados por distrações que querem nos tirar do foco, e nos fazer perder a força. Mas é nesse momento que devemos dizer não a elas, e não nos recolhermos para dentro de nós, e sim agir e nos expor para Deus e confessar que precisamos de ajuda, que precisamos dele, e que podemos sim, e que vamos sim, agir para ele, com coragem e sem medo.
   Antes de ler a Palavra do Senhor, eu me sentia indigna de fazer algumas coisas na minha vida, mas depois de um dia inteiro a lendo, não somente a história de Salomão me ajudou, mas o fato de redescobrir que aquela força e coragem de um pai tão grande como Deus, fez com que eu  me lembrasse que ele estava dentro de mim, mais forte e mais vivo.
  Tudo sumiu e já não era mais eu ali, mas era ele em mim.
  E então, algo sobrenatural havia acontecido comigo, e mais forte eu me sentia, mais poderosa... Algo em minha alma estava acontecendo, se formando como uma camada encobrindo algo valioso, e somente no final senti que era a mão do Senhor Deus revestindo o meu coração de amor e coragem, e isso, foi tudo o que eu precisava para que a minha noite terminasse bem. E lá estava eu, a um passo de Deus.

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Tremendo.

- As gotas de provações foram descendo, e eu somente queria me molhar e não adoecer
com o resfriado que poderia de repente me pegar...

Midiã, era aonde eu estava, uma cidade, uma terra. Muito antes, era por lá que havia de passar... Com os pés descalsos, no calor daquele sol, o qual havia de vencer e nele estava todas as dificuldades que havia de enfrentar; o meu eu; o orgulho, o egoísmo, a ignorância, as impurezas, o meu ego, o meu querer...

A solidão veio, a tristeza apareceu. Presa eu estava, a miragem
do deserto vinha e desaparecia, indo e voltando. Erguendo a cabeça, já com os joelhos no chão sem forças para andar, pensei em desistir.

Mas de repente lá estava, por trás de mim, senti um vento, uma
sensação, uma força inimaginável, uma coragem, uma necessidade que soprou atrás e trouce tudo novamente. Uma força sobrenatural de poder e suspirei: Graças a Misericórdia que me alcançoou.

Os gemidos do Espirito Santo a meu favor foram fortes quando a dor era forte e a tempestade que caia ao meu redor, se tornou claro para ele, que se levantou e decidiu me ajudar nessa luta, nesse sofrimento.

Um homem apareceu e fez tudo parar, e aquela dor também.
Olhando de cima, ele me estendeu a mão, mas pensei:

É tão sulrreal e tão incomparável esse amor, que ao recordar
os fatos, não consigo imaginar como ainda estou de pé...

Tudo do interior se esvaziou e de repente algo me preencheu e uma
fumaça de paz e Graça senti. Abri os olhos e o homem havia ido embora.
Não temi mal algum ao olhar para aquela criatura, pois sabia que depois de um Midiã
a vitória viria pessoalmente para me visitar, e meu corpo humano, poderia suportar a presença dele.

De repente de olhos fechados o chamei de mestre e um
sorriso apareceu e curvou minha boca.

Tremendo, sinto tremendo o chão quando vejo a imagem.
As lágrimas começam a descer por que de repente, fecho os
olhos e não consigo imaginar como, realmente, como...

O Amor e a proteção do meu mestre pode me deixar tão Constrangida.
Mesmo sem merecer, me ama, e um Suporte forte e inabalável se torna para mim.
O meu Deus !







sábado, 1 de agosto de 2015

Ponto de Partida.

 Bem, aqui estou novamente depois de alguns longos e demorados meses sem escrever algo. Fiquei um período me refazendo, me redescobrindo e aprendendo muitas coisas, e a lidar com perdas pessoais, familiares e tudo o mais. Ainda continuo com textos e livros que começo mas que quase nunca os termino, só que estou de volta e contente por ter sobrevivido a meses de tempestades e sofrimentos e sinto que tudo vai voltar ao normal com certeza. Sinto que há um novo recomeço para mim. Um novo Ponto de Partida.
 Tenho apenas uma seguidora no meu blog, não sei ainda se ela continua lendo as minhas postagens, apesar de eu ter ficado ausente nesses últimos meses... Mas pretendo conseguir mais leitores para acompanharem e estarem comigo na historia pessoal que pretendo colocar daqui em diante. Pretendo compartilhar experiências e sentimentos, pois passei por muitas situações que exigiram de mim; força, coragem, escolhas, perdas, renúncias, entrega e muito mais que revelações, que em alguns casos, as pessoas que nos cercam não passaram por isso e estão precisando de ajuda. Ainda mais a nós, adolescentes confusos passando por uma fase de transição e assim como eu precisei, ter alguém ao lado é super importante, e estarmos ao lado também.
 Para deixar claro, não é um par perfeito, um homem, ou uma mulher que poderá nos acompanhar nessa caminhada, não precisamos até em um período, estarmos necessariamente juntos ou ligados a alguém para conseguirmos passar por uma fase em nossa vida: O que quero dizer é que não preciso de alguém agora do meu lado para aprender a viver, já que antes de tudo acontecer conosco, nascemos sozinhos, em corpos únicos, pensamentos únicos, olhos diferentes e com uma mente diferente. E para finalizar, antes mesmo de conseguir alguém para estar ao nosso lado, é preciso sermos felizes sozinhos e passar pelo deserto sozinhos: Criar base.
 Para termos um ponto de partida, é necessário ter um foco, um objetivo e confesso que bem antes de retornar a escrever esse mês, passei por um período muito nervoso, aonde nada ainda estava pronto, eu não tinha planos para o que fazer da minha vida e comecei a ficar desesperada, pois parecia que o mundo iria acabar e eu não havia escolhido um rumo para seguir aonde eu pudesse ficar segura e viva: simplesmente não havia pensando em planejar nada.
 A frustração começou a tomar conta de mim, pois do lado de fora, amigos meus estavam com as vidas seguindo... Um fazendo vestibular para conseguir um curso de graduação muito importante, o outro com carro, outro fazendo os preparativos para o casamento... Outra sendo pedida em noivado, namoro... E assim seguia.
 Mas apesar disso, contando tudo isso a minha querida mãe esses pensamentos super acelerados que passavam pela cabeça, ela me fez perceber algo muito importante que eu não havia percebido: "há um tempo para cada coisa, um tempo para plantar, um tempo para colher e outro tempo para descansar. E as vezes algo não acontece, justamente porque não era para acontecer e isso pode se chamar: livramento" e logo depois de fazer algumas reflexões sobre o que ela havia me dito, havia descoberto duas palavras importantes para começar a pensar: Em quê condições eu estava vivendo? E sou justamente semelhante a pessoa próxima? Então aí, tudo começou a fazer sentido.
 Temos que lembrar sempre de que nascemos em tal lugar cercada de pessoas diferentes e em um ambiente completamente diferente. Uns nascem pobres e outros ricos e em alguns casos nem tanto. Claro que isso não é motivo para desculpas, até por que alguns gênios da física química vieram de gerações simples e nem tão perfeitas.
 Mas a questão é que não devemos olhar a nossa vida e o que estamos passando, com base no que o nosso próximo tem ou aonde ele vive. Temos que enxergar dentro de nós mesmos a possibilidade de querer mudar, querer fazer alguma coisa para deixar com que a vida e as dificuldades, e a visão principalmente como um todo, mude! Devemos reagir e agir nas condições que nos encontramos e procurar melhorar sempre, todos os dias: um dia de cada vez podemos nos aperfeiçoar e descobrir novos caminhos e assim, surgiram oportunidades diferentes para então, começarmos a ter ideias e criar um novo foco.
 Bem, não se esqueça que você, que está lendo o que escrevi, não está sozinho nessa. Todos nós passamos e principalmente eu, passo por impasses, inseguranças e desequilíbrio as vezes na jornada da vida. Porém lembre-se, que nós seres humanos, estamos em constantes fazes de evolução e mudanças, então isso sempre vai surgir, independente da idade ou as circunstâncias que vão te cercar. O que não pode deixar de pensar e acreditar, é que: Sempre vamos ter um Ponto de Partida em nossas vidas.
 Pois a vida é assim para todos: vamos estar sempre, em fase de transformação e evolução. Precisamos decidir e dar um passo para começar.

 Att, Alien.

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Deveria ser feito...

As vezes me escondo na minha própria mascara, o medo 
de dizer tudo e não ser aceita por isso, coisas que passei, que 
eu recusaria, mas que por fora disse totalmente o oposto. Me refiro 
ao meu relacionamento. Percebo e observo, tento melhorar sabe, mas 
realmente... As vezes estamos tanto voltados para as nossas 
necessidades pessoais, que acabamos nos oprimindo e não 
as mostrando para as pessoas que dizemos amar e que a maioria 
do tempo que temos reservado, não contamos para elas.Isso de 
certo modo vai acabando conosco com o tempo e pensamos que
 a pessoa que está do nosso lado não nos ajuda. E muito pelo contrário.
 Nós é quem não sabemos dividir tudo e equilibrar tudo com a outra pessoa. 
O desejo carnal nos toma por completo e quando ao lado da pessoa 
que amamos, só fazemos coisas contrárias das quais 
deveríamos fazer e acabamos no final do dia, ficando vazios... Mal preenchidos.

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Suspiro.

  Entramos no quarto, dei o passo primeiro. Te peguei pelos braços e o puxei  tentando evitar que você olhasse as minhas lágrimas escorrerem...
  No momento não pude evitar de esconder o medo, que começou a contagiar todo o meu corpo.
  Meus dedos penetraram sua carne pelas costas tentando procurar segurança. Procurando ter mais de você em mim, pois o que me perturbava era pensar que não o teria mais por perto na manhã seguinte, mas a sensação de ter tocado sua pele, era como se antes eu estivésse caindo em um abismo, mas segurar em você, acabou sendo como encontrar o chão em segundos. Foi calmo, um alívio. A sensação me inundou profundamente quando Suspirei.
  Nossos corpos juntos estavam apegados, e mesmo a escudirão tomando nossa visão, meus dedos tocavam seu rosto. Senti a pele morna sua e os contornos mentalizei com calma. Fechei os olhos e só o que restou de mim foi o desejo de fazer daquele momento o único.
  Próximos pudi sentir o irregular de sua respiração. Medo de errar, medo de não saber o que fazer não existia mais entre nós. Um passo que eu desejava, você tomava o outro por mim. Nossos movimentos estavam conectados por uma sensação inacabável de amor. O desejo de ter um ao outro era infinito como a distancia entre as estrelas e o solo.
  Mesmo sabendo que era sua, meu corpo o queria por perto. Mesmo sabendo que o teria de volta, não queria que acabasse. Minhas mãos escorreram pelos fios de seu cabelo e juntei o lado do meu rosto ao seu. Um sorriso tomou conta da minha boca e você pressionou os seus lábios nos meus. Me prometeu estar comigo. Sussurrou-me amor eterno. Não havia medo ou insegurança em sua voz. Só havia... Amor intenso.
  O estralar de seus lábios pude ouvir. O som do seu coração batendo forte pudi sentir através de seu colo firme quando me aproximei. Minhas mãos começaram a correr por seu corpo. Respirei fundo tentando controlar os desejos mais profundos habitados em mim, mas eu os contive, porque sabia que entre nós, O amor é um sentimento eterno. Conseguimos encontrar em nós um puro, calmo e sereno, então quis que durasse. Para sempre. Sem intervenção de luxo algum. 
  











  Era começo de outono e as folhas começavam a cair. O frio avisava que chegava quando ao meio de uma ponte meu rosto tomava o vento. Frio, devastador e árduo. Meus olhos se fecharam e de repente observei meu corpo em um outro lugar...